sábado, 1 de maio de 2021

Não peregrinarei!

Caminho Inglês, em 2016: viajar, nas circunstâncias atuais, é impossível

Passados 83 dias desde a última postagem neste blog, o leitor não tenha dúvida que muita coisa aconteceu na vida deste peregrino em meio a esta maldita pandemia! Fatos e reflexões que reforçam minhas convicções e ampliam meu entendimento sobre o Caminho de Santiago e o sentido da peregrinação às relíquias do Apóstolo de Jesus, Tiago Maior, que repousam na cripta da Catedral de Compostela.

Friso “que repousam na cripta da Catedral”, pois vira e mexe aparece algum esperto – não no sentido que a língua de Cervantes especifica; pelo contrário, no âmbito da pura malandragem –, a perseguir um respingo de notoriedade, mediante a repetição de hipóteses absurdas de que seriam de um herege ou de um animal as sagradas relíquias que confortam quem as venera ao final da peregrinação. Comportamento iníquo, diga-se de passagem, que revela a pouca fé que contamina quem sobrevive da mística do Caminho.

Passa à frente, Santiago!

Sinto saudades da peregrinação e isto é compreensível. Por isso não me abalo. Pelo contrário, desde março do ano passado, quando ficou prejudicada qualquer pretensão de voltar à Península Ibérica, mergulhei nas minhas experiências, cristalizada em sete peregrinações (sendo seis itinerários diferentes do Caminho de Santiago e uma rota tangencial, o Lebaniego) e na travessia de Assis a Compostela, que visou reconstituir a célebre peregrinação de Francisco, em 1214.

O resultado dessa imersão resultou na versão e-book dos oito livros reportagem que relataram as viagens – devidamente revisados e atualizados, disponibilizados no portal Amazon – e na oportunidade de escrever o meu primeiro romance – também disponível no Amazon. Este livro mais recente, lançado originalmente em outubro de 2020 e traduzido para o espanhol em fevereiro passado, idealiza o conhecimento que acumulei desde 2009, quando peregrinei pela primeira vez o Caminho de Santiago.

 

Com Guilherme, em Pasos Del Camino

Abordei aquele momento dramático ao participar em 29 de novembro de 2020 de entrevista com o peregrino Guilherme Ribeiro, de Braga, em Portugal, que desenvolve o projeto Pasos del Camino, com publicações no Facebook. O bate papo está disponível numa sequência de três postagens, a primeira delas está em https://fb.watch/5dpSPY6xuL/

 

Com Denise, em @santiagodecompostelainfo

Voltaria a falar sobre a paixão de minha vida em 6 de janeiro, na live com a peregrina Denise Santos, da capital paulista, que no Instagram mantém a conta @santiagodecompostelainfo, e que pode ser acessada em https://www.instagram.com/tv/CJuT3GaAHV_/

Nesta segunda entrevista, ainda impactado pelo decreto do Papa Francisco – que prorrogou o Xacobeo 2021, o Ano Santo Compostelano, até 2022! – havia a expectativa de que a pandemia poderia dar uma trégua, ainda mais com o início da vacinação, que aparentava estar próxima. Com fé, porém de forma precipitada, revelei a programação que pretendia realizar nesta Primavera europeia de 2021.

Os dias foram passando e ficou claro que a vacinação iria atrasar, como atrasou, e está acontecendo aos trancos. Paralelamente, a pandemia adquiriu vigor surpreendente, com o surgimento de variantes do novo coronavírus, seguindo-se ondas de contaminação na Europa, Brasil, enfim, em todo o planeta. Passei a considerar que a viagem, nas circunstâncias atuais, é impossível.

Hoje, tomei a decisão e contatei a companhia aérea para anunciar que este ano não irei mais à Espanha. Tudo bem. Quando forem abertas as reservas para 2022 poderei indicar a data de minha preferência.

Por ora, aprofundo as pesquisas sobre a programação comentada na live com Denise... – embora também estude opções de rotas que ainda não peregrinei.

Minha busca continua.

Buen Camino!

sábado, 6 de fevereiro de 2021

Como um rio, agora em espanhol!

“Como un río, encuentros en el Camino de Santiago”

Meu mais recente livro, escrito em 2020 durante pandemia e lançado em outubro passado, foi traduzido do original em português para o idioma espanhol. A iniciativa atende a carinhosas sugestões de amigos e contou com a efetiva colaboração de minha querida mana santiaguense Carmen Vázquez Nolasco, responsável pela revisão. Além disso, cristaliza um antigo sonho deste autor, em disponibilizar sua obra a um universo ainda mais amplo de leitores – buscando assim inspirar cada vez mais pessoas a experimentar a mística da peregrinação pelo Caminho de Santiago.

“Como un río, encuentros en el Camino de Santiago” está disponível com exclusividade no portal Amazon, tanto na versão e-book como impressa. Clique no link https://www.amazon.com.br/dp/B08VZMKF39 e baixe a amostra grátis das primeiras páginas. 

Ao apresentar o livro, digo que a vida do peregrino é como um rio...

Sí, la vida del peregrino es como un río. Y así es la vida de Manolo, un pescador de Galicia, en el noroeste de España, que se zambulle en un mar de emociones a la hora de peregrinar por el Camino de Santiago. Una peregrinación cargada de encuentros y desajustes, inusuales e inesperados, en um escape constante de las sombras del pasado y una búsqueda que él mismo duda comprender. Es la parábola de un paseo que comienza en un ojo de agua, como um inspiración, para cruzar caminos inescrutables; que deja de lado el inútil y lleva solo lo necesario, con la certeza de que al final llegará a la meta, que puede ser el mar impreciso, así como la fraternidad del hermano, amor al prójimo, perdón de pecados, en fin, la paz anunciada en las sagradas escrituras.

Periodista, yo hice peregrinaciones por diferentes itinerarios del Camino de Santiago de Compostela, España, caminando alrededor de 2.150  kilómetros. Soy el autor de la trilogía Piedras del Camino: “Mi encuentro en el Camino de Santiago”, en el Camino Francés; “Sentido del Perdón”, ambientado en el Camino Portugués; y "Búsqueda sin fin", centrándose en el Camino Aragonés. Y la serie Descubriendo nuevos caminos con “Las Piedras del Camino Sanabrês”; seguido de "Pasos del Amor, la peregrinación del Francisco, de Asís a Santiago de Compostela”; "La Última Peregrinación”, que revela el secretos del Camino Primitivo; "Juntos en el Camino”, en el Camino Inglés, cuyo contenido me valió el segundo lugar, en la categoría “Peregrinos”, en II Certame Internacional del Investigación del Camino Inglés, promovido por la Junta de Oroso, en Galicia; y “Lebaniego, una ruta tangencial del Camino de Santiago”, que presenta el Camino Lebaniego.

Buen Camino!

domingo, 13 de dezembro de 2020

Despedidas aos franciscanos

Paz e Bem: saudação franciscana no altar-mor do Santuário do Valongo

Lembro do 13 de dezembro, em 2015, ao ser anunciado o Ano Jubilar Extraordinário da Misericórdia de 2016, quando foi aberta a Porta Santa do Santuário Santo Antônio do Valongo, em Santos, numa singela cerimônia presidida por Frei Hipólito Martendal (OFM), que comemorou com a comunidade os 50 anos de seu ordenamento sacerdotal.


Abertura da Porta Santa do Santuário do Valongo

Ao recordar a marcante presença dos franciscanos da OFM em Santos (desde o século XVII) - num trabalho fantástico junto aos pobres da região central da cidade e morros, disseminando o verdadeiro espírito de São Francisco -, a expectativa é grande pela entrega do Santuário (fundado em 25 de janeiro de 1640) à gestão do Instituto Missionário Servos do Senhor, criado em 8 de setembro de 2005, na Bahia, pelo bispo José Edson Santana de Oliveira, atual presidente da Pastoral dos Nômades do Brasil, da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

Ao dar despedidas aos irmãos franciscanos e também boas vindas aos iniciados pelo IMSS, o sentimento é de perplexidade pelo desprezo com que está sendo tratada a sociedade católica de Santos e região.


Presença de Francisco em Santos desde 1640: respeito!

Paz e Bem + Buen Camino!

#pedrasdocaminho

sexta-feira, 9 de outubro de 2020

“Como um rio” revela encontros no Caminho de Santiago

Estarei “ao vivo” no Face nesta segunda 12, a partir das 16h

Após oito livros-reportagem sobre minhas peregrinações pelo Caminho de Santiago, brindo os leitores com minha primeira obra de ficção. Para falar sobre ela, estarei “ao vivo” em minha página no Facebook, em www.facebook.com/CebolaFerraz, nesta segunda-feira 12, a partir das 16 horas.

"Como um rio – Encontros no Caminho de Santiago" traz personagens misteriosos, ora divertidos, às vezes dramáticos, oferecendo curiosas reflexões sobre a tradicional rota de peregrinação cristã.

Criar uma ficção inspirada no Caminho era um sonho antigo, desde minha primeira peregrinação, em 2009. “Como um rio” sintetiza minhas experiências nessas jornadas em busca de autoconhecimento e devoção ao Apóstolo de Jesus.

Admito que desconhecia essa minha veia literária, uma vez que na condição de jornalista sempre me pautei pela verdade e objetividade. Escrever uma ficção exigiu outro exercício mental, mas deveras interessante e desafiador.

O histórico Caminho de Santiago com seus diletantes e por vezes delirantes personagens é capaz de transportar o leitor ao longo dos séculos, desde o período medieval até os dias atuais, envolvendo-o às incertezas geradas pela pandemia.

A obra é uma grata surpresa para quem aprecia uma leitura fluida, repleta de referências, e quer inspirar-se na mística da peregrinação.

A vida do peregrino é como um rio. E assim também é a vida de Manolo, um pescador da Galícia, no noroeste da Espanha, que mergulha num mar de emoções ao peregrinar o Caminho de Santiago. Uma peregrinação carregada de encontros e desencontros, inusitados e inesperados, numa constante fuga das sombras do passado e uma busca que ele próprio hesita em compreender.

É a parábola de uma caminhada que inicia num olho d’água, como uma inspiração, para atravessar veredas inescrutáveis; que deixa à margem o imprestável e carrega apenas o necessário, com a certeza de que ao final alcançará a meta, que pode ser o impreciso mar, assim como a fraternidade do irmão, o amor ao próximo, o perdão dos pecados, enfim, a paz anunciada nas sagradas escrituras.

Sou autor da trilogia "Pedras do Caminho" e de outras cinco obras que relatam minhas peregrinações nos vários itinerários do Caminho de Santiago – como o Francês, Português, Aragonês, Sanabrês, Primitivo e Inglês –, além da rota tangencial, Caminho Lebaniego, e a célebre peregrinação de Francisco, de Assis a Compostela.

O livro no formato e-book está disponível com exclusividade no portal Amazon.

Buen Camino!

 

MEMÓRIA / LIVROS PUBLICADOS

Trilogia “Pedras do Caminho”:

“Meu Encontro no Caminho de Santiago”, sobre o Caminho Francês, peregrinado em 2009, 800 km em 29 etapas (Editora Titan/2013);

“Sentido do Perdão no Caminho de Santiago”, sobre o Caminho Português, 240 km em 10 etapas, feito em 2010 (Titan/2014); e

“Busca sem fim no Caminho de Santiago”, sobre o Caminho Aragonês, 190 km em 7 etapas, realizado em 2012 (Titan/2015).

Série “Descobrindo novos Caminhos”, com 5 títulos:

“Descobrindo novos Caminhos, as pedras do Caminho Sanabrês”, sobre o Caminho Sanabrês, 423 km em 16 etapas, peregrinado em 2013 (Titan/2015);

“Passos do Amor – A Peregrinação de Francisco, de Assis a Santiago de Compostela”, concretizado em 2014 (Titan/2015);

“A Última Peregrinação, Lágrimas no Caminho Primitivo”, sobre o Caminho Primitivo, 312 km em 13 etapas, peregrinado em 2015 (Titan/2016); e

“Juntos no Caminho de Santiago, as pedras do Caminho Inglês”, sobre o Caminho Inglês, 120 km em 7 etapas, peregrinado em 2016 (Titan/2017). O conteúdo de “Juntos no Caminho de Santiago” lhe valeu o segundo lugar, na categoria “Peregrinos”, no II Certame Internacional de Investigação do Caminho Inglês, promovido pelo Conselho de Oroso, na Galícia.

“Lebaniego, Uma rota tangencial do Caminho de Santiago”, sobre o Caminho Lebaniego, 69,4 km em 5 etapas, peregrinado em 2017 (Titan/2018).

quarta-feira, 9 de setembro de 2020

Recuperando...

Caminho: movimento dobrou em relação a julho

Lentamente, o Caminho de Santiago se recupera... Em agosto foram contabilizados pela Oficina de Acolhida ao Peregrino da Catedral de Santiago de Compostela exatos 19.812 peregrinos (10.599 homens e 9.213 mulheres), menos de 1/3 dos 62.814 peregrinos (31.457 mulheres e 31.357 homens) registrados no mesmo mês de 2019.

Em relação ao mês anterior, contudo, o movimento dobrou, pois em julho foram recepcionados 9.752 peregrinos (5.400 homens e 4.352 mulheres) – muito aquém de julho do ano passado, com 53.319 peregrinos (27.541 mulheres e 25.778 homens).

Por outro lado, as últimas notícias de “La Voz de Galícia” informam que... “La Xunta ha extendido las restricciones del aforo de los locales y las reuniones a los municipios de Pontevedra y Ponteceso al tiempo que ha levantado estas limitaciones en gran parte de la comarca de A Coruña y en Santa Comba. Lo hace en un día en el que las cifras de evolución de la epidemia son especialmente malas tanto en la comunidad como en el conjunto de España. En Galicia se han vuelto a superar los 300 positivos diagnosticados en una jornada y son más de 4.300 los casos activos, con otras siete víctimas mortales en 24 horas, cifra que no se registraba desde principios de mayo. Solo en la residencia de O Incio son ya 17 los fallecidos, que se elevan a 671 desde el inicio de la epidemia en la comunidad. En el conjunto del país se han sumado otros 8.866 casos, 4.410 en una sola jornada, 1.728 de ellos en Madrid”.

Buen Camino!

#pedrasdocaminho